Classes comercial e industrial

A rápida difusão de tecnologias de geração distribuída nos comércios e nas indústrias é esperada por custos evitáveis, lógica de investimentos e disponibilidade de área útil.

Por representar segmento importante para o equilíbrio das companhias distribuidoras, a janela de oportunidade aberta para Centrais Geradoras Fotovoltaicas (UFV) não será tão duradoura quanto para o segmento residencial.

A duração da janela de oportunidade dependerá da dinâmica regulatória e os planos de crescimento em vendas de UFV dependem do conhecimento acumulado pela Solar Fintec no assunto.

A evolução de vendas de UFV tem sido rápida em Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná.

Fonte: Solar Fintec, a partir da Aneel.

No Rio de Janeiro, escolhido como protótipo para verificação das tecnologias Solar Fintec, o número de unidades comerciais e industriais com UFV não chegava a 200 em dezembro de 2018.

A Solar Fintec identificou entre 2.000 e 4.000 potenciais consumidores comerciais e industriais com viabilidade técnico-econômico-financeira e qualidade de crédito, o que pode representar carteira de cerca de R$ 400 milhões com risco muito baixo.