Classe residencial

A escolha do município do Rio de Janeiro como protótipo para aplicação das tecnologias Solar Fintec se explica pelo elevado custo da energia distribuída pela Light (R$ 0,626/kWh, atualmente 11ª posição no ranking nacional de tarifas residenciais entre 54 concessionárias).

Assim como pela concentração de consumidores com renda e crédito.

O segmento residencial para centrais fotovoltaicas é difuso e de difícil acesso. Dividindo-se em segmentos que exigem estratégias de abordagem específicas.

A Solar Fintec desenvolveu tecnologias para identificação de unidades residenciais a partir de critérios de qualidade de crédito e potencial para geração fotovoltaica.

Abaixo, para o município do Rio de Janeiro, apresenta-se etapa do protocolo Solar Fintec para dimensionamento e acesso às oportunidades residenciais.